Pistorius alertou à Europa: Preparem-se para a guerra contra a Rússia

Publicado por: Feed News
20/12/2023 20:58:32
Exibições: 73
Precisamos de uma força armada que possa proteger este país/Imagem: Fontes abertas
Precisamos de uma força armada que possa proteger este país/Imagem: Fontes abertas

As ameaças do Kremlin aos Estados Bálticos, à Geórgia e à Moldávia podem transformar-se em perigos diretos até ao final da década

 

O ministro da Defesa alemão, Boris Pistorius, apelou à Europa para que se preparem. Há uma guerra anunciada com a Rússia, que, segundo as suas previsões, poderá ocorrer dentro de 5 a 8 anos. Nesse período, é preciso recuperar o que se perdeu nas Forças Armadas, no complexo militar-industrial e na sociedade. Pistorius disse isso em entrevista ao Welt am Sonntag.

“Às vezes tenho a impressão de que nem todos perceberam ainda que precisamos fazer mais para garantir a nossa segurança. Confrontados com uma crise terrível, precisamos de militares que possam defender este país. E em caso de guerra também", disse o ministro da Defesa alemão.

 

O responsável lembrou que a Rússia está aumentando de forma acelerada a produção de armas em mais de 60% e que as constantes ameaças do Kremlin aos Estados Bálticos, à Geórgia e à Moldávia podem transformar-se em perigos diretos até ao final da década.

O Presidente Volodymyr Zelenskyi já disse que a Rússia pode atacar os Estados Bálticos e os países onde estão estacionados contingentes militares russos. Deve-se notar que esta informação não é uma declaração política, mas baseia-se em relatórios sistemáticos de inteligência.

 

Para sua informação, o Instituto Americano para o Estudo da Guerra (ISW) em seu novo relatório abordou a declaração do Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, que afirmou durante o colégio do Ministério da Defesa da Federação Russa em 19 de dezembro que a prioridade do seu departamento é a continuação da guerra contra a Ucrânia e a preparação de unidades recém-formadas em 2024, e também repetiu ameaças contra a Finlândia e, mais amplamente, a OTAN

 

Recentemente, Putin, numa reunião do colégio do Ministério da Defesa da Federação Russa com a participação do chefe do departamento, Sergei Shoigu, disse que a indústria de defesa russa reagiu à guerra na Ucrânia mais rápido que o Ocidente. Disse também que a Rússia não vai abandonar os objetivos da chamada "operação militar especial" (este é o nome oficial da guerra contra a Ucrânia na Federação Russa).

 

Por sua vez, Shoigu disse que apesar das sanções, a Federação Russa produz mais armas de alta tecnologia do que os países da OTAN.

 

Outro dia, numa grande conferência de imprensa final, Putin, respondendo à questão de quando haverá paz, disse que "quando alcançarmos os nossos objetivos". Ele repetiu o mantra sobre “desmilitarização e desnazificação da Ucrânia e seu status neutro”.

Editado e com informações da GLAVCOM

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados