Lula Recusa Convite para Cúpula de Paz na Ucrânia

Publicado por: Feed News
17/05/2024 15:40:51
Exibições: 89
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela
Divulgação/Redes Sociais/Captura de Tela

Lula não participará da Cúpula de Paz na Ucrânia: Razões Reveladas pela Mídia

 

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, decidiu não participar da Cúpula de Paz na Ucrânia, que ocorrerá de 15 a 16 de junho na Suíça. Segundo relatos da mídia, Lula afirmou que "não adianta participar de uma cúpula que não envolva os dois lados do conflito".

 

Contexto da Decisão
A publicação destaca que o convite para a cúpula foi feito pelo governo suíço tanto ao presidente brasileiro quanto ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky. No entanto, de acordo com Lula e representantes do Itamaraty, a ausência de ambas as partes conflitantes torna a participação do líder brasileiro ineficaz.

 

Posição Diplomática do Brasil
Fontes diplomáticas brasileiras confirmaram que a delegação que representará o país na cúpula não será liderada pelo presidente. Ainda está em discussão quem assumirá essa função. Historicamente, o Brasil tem votado diversas vezes na Assembleia Geral da ONU condenando a invasão russa e apoiando a integridade territorial da Ucrânia. Contudo, o país optou por não apoiar sanções contra o Kremlin.

 

Detalhes da Cúpula de Paz na Suíça
Mais de 100 países foram convidados para a Reunião Global pela Paz na Ucrânia. No entanto, a Rússia não foi incluída na lista de convidados. O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia destacou que há duas maneiras de forçar a Rússia a agir de boa fé: alcançar sucesso no campo de batalha ou criar uma coalizão de países com princípios e abordagens comuns.

 

Preocupações de Zelensky
O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, com base em dados de inteligência, afirmou que a Rússia pretende perturbar a Cúpula Global da Paz e reduzir o número de países participantes. Esta tentativa de sabotagem destaca a importância de uma coalizão internacional unificada para pressionar por uma resolução pacífica do conflito.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados